Quinta Bulletin (Maio 2015)

Maro General Ecosystem @pt-pt

1. Fairmarket – Versão Alfa de provas lançada no Dia do Comercio Justo

fairmarketES

Fairmarket es el mercado virtual de FairCoop donde la gente encontrará todo tipo de  productos y servicios ofrecidos por los miembros de esta cooperativa. Un proyecto clave dentro del nuevo sistema económico global que queremos construir está naciendo.
Fairmarket é o mercado virtual da FairCoop, onde podes encontrar todo o tipo de produtos e serviços oferecidos pelos membros a cooperativa. Um projecto chave dentro do novo sistema economico global que queremos construir está a nascer.
Funciona sob os principios da “cooperativa aberta”: todas as pessoas podem facilmente ser membros da FairCoop. Como vendedores, simplesmente basta usar esta ferramente, contruindo uma loja virtual e oferecendo os seus productos e serviços, já se pode fazer parte deste processo, por isso participa como membro .
A primeira versão Alfa de provas do FairMarket foi publicada hoje, no mesmo dia em que se celebra o Dia Mundial do Comercio Justo https://wfto.com/events/world-fair-trade-day-2015 De esta manera FairCoop. De esta maneira a FairCoop quere unirse ás multiplas celebrações e eventos que se celebram hoje com o motivo do Comercio Justo, uma contribuição tangivel à luta contra a pobreza e a exploração, as mudanças climaticas e a crise economica que tem um maior impacto sobre os povos mais vuneráveis do mumdo.
Trata-se de uma fase de prova aberta, não operativa, por isso precisamos da tua participação, fazendo sugestões para melhorar a plataforma e detectar erros.
Assim, FairMarket encontra-se neste momento em processo de construção colectiva, e já te podes juntat, propondo ideias e envolvendo-te.
Com o lançamemto, FairCoop também apresenta o primeiro lote de “Bounties” ( recompensas ). 300000 FairCoins vão ser redestribuidas através de 15 projectos elegidos como prioritários pela comunidade FairCoop. Podes consulta-los e se pensas que podes envolverte, apresenta-te como candidato e faz parte do processo !
FairMarket vai-se defenir em três fases. Por agora, estamos na fase alfa.
Nesta fase o registo dos vendedores está aberto, podes começar a configurar a tua loja, carregar os teus produtos e serviços e promovendo-te .
A fase seguinte, a beta, será quando o mercado ficar aberto a realizar operações, mas com todas as caracteristicas previstas até a data.
A terceira fase será a de produção plena, quando a FairCoop oferecerá ao mundo pos-capitalista um mercado com multiplas funções para construir a rede económica que todos nós merecemos.
De momento para começar, temos que construir uma comunidade de FairMarket forte e envolvermo-nos para que isso seja possivel.
e participa neste forum para construir o FairMarket : ttps:https://2017.fair.coop/groups/faircoop-community/fairmarket/forum/
Junta-te ao FairMarket aqui : https://market.fair.coop

2. Ligações alternativas financeiras | Acordo de colaboração com o Betabank

betabank_faircoopBetabank (https://betabank.de/) é uma comunidade de banca social da sociedade cooperativa alemã Betacoop (https://betacoop.de/). O seu objectivo é gerar novas vias que nos levem a uma ecónomia prática, alternativa e solidária baseada nas pessoas através da geração de redes económicas descentralizadas onde os seus membros beneficiem do crédito mutup para satisfazer as suas necessidades básicas.
No Betabank utilizam uma moedas alternativa virtual chamada “beta” e oferecem serviços de contas gratuitas, e diversos serviços de pagamento, e inovadores modelos de financiamento. 
Oferecem por exemplo uma app para aceder a conta via smartphone, disponivel apra iphone e android que permite aos usuarios pagar de forma segura e consultar o seu saldo através de sms. Uma opção muito cómoda de interacção que, não implica necessáriamente ter de ter um smartphone e cobertura de internet para se utilizar. 
Geralmente, os bancos convencionais são altamente restritivos : limitam os seus clientes ( sejam particulares ou empresas ) a possbilidade de interagir com o portal online do respectivo banco. Com Betabank ocorre o exactamente o contrário: o sistema é mais flexivel, e as opções apliam-se. E no caso de particulares, é permitido a recepção online de notificações de pagamentos. E no caso de empresas é possivel aceder via API à conta para automatizar pagamentos e atualizar sistemas internos, evitando ter que realizar entediosas tarefas manuais.
Um dos projectos mais relevantes de Betabank é o FairBill (https://fairbill.com/) um processador de pagamentos multiplataforma que já inclui uma grande variedade de formas de pagamento, e em breve aceitará também FairCoins.
Mas não é só isto, porque nos próximos tempos Betabank vai estar a desenvolver uma carteira para a web de FairCoins, que não nºao requererá instalação nenhuma: basta solicitar a sua activação, define-se um utilizador com um direcção FairCoin y já se pode efectuar e receber pagamentos.
Pela sua parte FairCoop já tem um conta aberta no Betabank e já juntou esta opção dentro das que já tinha em GetFaircoin para realizar transferencias. Desde GetFariCoin que se está a trabalhar para incuir o sistema de FairBill e assim disfrutar de mais autonomia em sistemas de pagamento com cartão; ao mesmo tempo, também se prevé que FairBill seja a ferramenta de transações do – a estrear brevemente – FairMarket.
 
Todas estas integrações já são  junto da creação do nó local de Leipzig – alguns dos primeiros resultados de esta recente aliança entre a FariCoop e o Betabank, e assim se dá mais um passo na contrução de alternativas financeiras de base colectiva, transparentes e democraicas para um novo sistema económico, autogestionado e a margem da predadora banca convencional. 

3. FairCoop e a Faircoin no Hojaderouter.com

hojaderouter_diarioes

Neste post apresentamos um extenso artigo sobre a FairCoop e a FairCoin que apareceu hoje no jornal online hojaderouter.com e eldiario.es ( Espanha ) onde se pode ler um bom sumario da historia da FairCoin ; como, de onde ela é recuperada – exactamente à um ano atras – e que esta a promover um novo sistema economico autonomo e independente do actual sistema capitalista, baseado na cooperacao, confiança e ajuda mutua, e com base em software livre; para deslocar o lucro pessoas e a especulaçao, gerando um visao colectiva e melhorando a sociedade.
Nasceu em Maio de 2014 pelas maos de um programador anonymo que desapareceu sem deixar rasto. 50 milhoes de moedas foram criadas e depois distribuidas entre 6 e 8 desse mes, a uma velocidade de 1000 unidades por hora, e foram oferecidas a pessoas que aderiram a iniciativa. Transformou-se na primeira criptomoeda que nao foi minerada 8 ao principio), e que foi partilhada equittivamente para promover a igualdade entre os participantes
Juntamente a FairCoin e a FairCoop tentam promover um novo sistema global de uma “economia pos-capitalista” baseada na colaboraçao e em softare livre. A criptomoeda tornou-se um dos seus peincipais vectores, no seu “sistema monetario base e  manutenção do seu valor”. König explica que a FairCoin promove a solidarieda para permitir a transferencia de valor para oura pessoa rapidamente, com segurança, e com baixos custos, sem depender de nenhum governo ou poder financeiro. Paralelamente, ” uma moeda pode ser uma boa desculpa para gerar um movimento social e de mutuo apoio e suporte a outros redes, e proliferando o “virus da cooperaçao” para o mercado economico, afirma Duran.
Tando Duran como König argumenta que a FairCoin,  e que e importante na FairCoop, ” nao é mais nada do que uma ferramenta dentro que um quadro global.” Progressivamente outras ferramentas vao surgir ” completando o sistema economico e monetario da FairCoop”, afirma Duran. Ele explica que um sistema monetario tambem precisa de credito e que e democratico, acessivel ” a todas as pessoas que tem capacidade de producao” e que pode cobrir necessidades basicas.
Isto sera possivel no futuro com outra moeda descentralizada chamada o FairCredit, que promovera o sistema de credito mutualista. Os emprestimos nao vao ter comissoes e taxas de interesse,  a divida de uns converte-se em debitos para outros e a soma todas do saldo no sistema sera igual a zero, de tal forma que o credito ja nao dependa de bancos centralizados, mas sim do bem comum. O aparecimento do FairCredit nao leva ao desaparecimento da FairCoin, mas sim complemetam-se.

4. Hackeando os métodos tradicionais de pagamento: BitSwop, BitBill y LitePaid já aceitam Faircoins.

LitePaid, Bitbill y BitSwop são ferramentas que já aceitam Faircoin como meio de pagamento. Através dos seus serviços ja é possível pagar a factura do telefone ou comprar especiarias para cozinhar, usando os teus Faircoins.

bbitbillbitswoplitepaid

O uso de cartões de crédito, de uma conta bancaria, ou de dinheiro na mão, está a deixar de ser uma obrigação  ou condição e passa a ser uma opção.
Novas alternativas estão a surgir e graças a elas já quase podemos prescindir desses meios tradicionais de pagamentos e começar a gerir a nossa própria economia com moedas digitais independentes da banca tradicional.
Agora vamos-te explicar como é que essas novas ferramentas funcionam para isto ser possivel. 
Bitbill é um serviço online que permite pagar facturas com criptomoedas. Por exemplo, se precisas de pagar a factura de telefone, do aluguer ou de qualquer outro serviço, podes dirigir-te a https://www.bitbill.eu/ . Basta preencher o formulário com a quantidade, o objecto de pagamento e a tua criptomoeda – sem teres que te registar – completar o pagamento em FairCoins. Bitbill realiza a transferência que solicitas-te. Por cada transacção que realizas terás que criar uma palavra passe e dar o teu endereço electronico para poder dar seguimento ao estado da transacção efectuada, e é necessário apenas um dia util até estar terminada.
Este serviço mantem-se graças a uma taxa de 1% mais o vlor fixo de 0.95€ por transacção. Actualmente este tipo de pagamentos de facturas online apenas é possivel na Europa e nos Estados Unidos, mas trata-se apenas de aguardar mais algum tempo até que esta revolução chegue ao mundo inteiro. 
Se o Bitbill pode suportar um total de 25 criptomoedas, como o FairCoin, é porque se baseia no Litepaid (https://www.litepaid.com), um sistema de processamento de pagamentos para a web e lojas online, que permite efectuar pagamento com criptomoedas e onde os comerciantes podem escolher se pretendem receber o pagamento em Euros ou em uma das moedas virtuais disponiveis. LilePaid é uma ferramenta util para aqueles que querem aceitar FairCoin como meio de pagameneto. As vantagens são multiplas e variadas : trata-se de um meio de pagamento seguro, de custo reduzido, e que proporciona transações imediatas e de âmbito mundial.
Mas as possibilidades não terminam aqui,

5. Espalhando sementes da FairCoop pela Europa | BERLIN · LISBOA · OPORTO · MADRID

Depois de Barcelona e Londres no mês passado FairCoop também foi apresentado em Berlim, Lisboa, Porto e Madrid.
presentationsfaircoop

A primeira data do mês foi no dia 8 de abril, em Berlim – a capital alemã – no Agora Colletive (https://agoracollective.org/) um espaço de coworking que facilita formas criativas de intercâmbio, desenvolvimento e inovação com um cariz social. Os participantes individuais e membros de diferentes grupos estavam muito interessados ​​no projeto como unificador de iniciativas como a economia colaborativa e desenvolvimento tecnológico envolvido a FairCoin criptomoeda como ponta de lança. O resultado desta reunião abriu o processo de criação de um nó local, em Berlim.
As seguintes apresentações foram em Portugal: a primeira em Lisboa a 18 de Abril em RDA69 (https://rda69.wordpress.com/) e a segunda no Porto em 25 de abril na SEDE.
Em Lisboa, a apresentação contou com a presença de entre outros, o Coletivo 1000101, ReCo – Rede Colaborativa da Vila das Amoreira. Os participantes desta apresentação estavam muito interessados nos princípios e os valores promovidos pelo FairCoop e desenvolveu-se uma interessante discussão sobre as questões tecnológicas, relacionadas com as criptomoedas e a Faircoin, assim como questões relacionadas com o bem comum, e outras ferramentas que estão sendo desenvolvidos e em breve podem ser utilizados. O resultado desta apresentação é o nó que se pode vir a constituir em Lisboa. Continuando em Portugal, uma semana depois, o encontro teve lugar no Porto, uma cidade que já tem um nó ativo. Lá os participantes estavam muito interessados ​nas ferramentas comuns que estão sendo desenvolvidos pela FairCoop e de como introduzi-las a uma escala global. A Faircoin gerou novamente um debate rico tanto pela sua inovação tecnológica e por suas possibilidades extensas e variadas.
A nossa última apresentação foi em Madrid último 30 de abril no MediaLab Prado (medialab-prado.es) um laboratório nacional de produção, pesquisa e divulgação de projectos culturais explorando novas formas de experimentação e aprendizagem colaborativa em redes digitais emergentes. O evento – transmitido por streaming através spanishrevolution.tv – foi bem recebido e os projetos de integração FairCoop e economia solidariedade social criaram grande interesse entre os participantes. Foi agendado um novo encontro no espaço Tabacalera, para coordenar e iniciar um nó local em Madrid.
Em breve comunicamos mais noticias !

6. Faircoin e a sua Carteira se papel

20150415_173507Uma das principais prioridades da FairCoop é dotar todas as pessoas e colectivos de um conjunto de ferramentas que facilitem o desenvolvimento e expanção de uma nova economia. Por esse motivo, a FairCoop apresenta a Carteira de Papel.

No passado mês lançamos a Carteira Android : uma carteira para o teu smartphone que te permite levar os teus FairCoins no bolso. O conceito geral da Carteira de Papel é o mesmo : trocar os teus FairCoins da tua carteira ( a do teu computador) mas num suporte de papel.
E dizer, agora tem a possibilidade de guardar o teu dinheiro sem depender do teu computador e de forma offline ( sem ligação a internet ).
As vantagens deste tipo de armazenamento de FairCoins são várias :
Por um lado, podemos deixar de nos preocupar com a segurança da internet, de proteger a tua carteira de possiveis intrusos, e , não termos a necessidade de fazer cópias de segurança da Carteira de Papel. Se, por exemplo, estas guardando uma quantidade de FairCoins que não queres ou não prevés utilizar, talvez te interesse reservar parte de estes FairCoins na Carteira de Papel e guardar na Carteira de FairCoins do teu computador ou na tua Carteira Android, a quantidade de FairCoins que achas que vais utilizar. Deste modo, a Carteira de Papel, converte-se numa carteira fisica com um dinheiro fisico que não se pode manipular; uma especie de fundo de poupanças. Não obstante, cabe assinalar que continua a ser necessário efectuar as cópias de segurança da tua Carteira no teu computador.
Por outro lado, a Carteira em Papel também tem a vantagem de poder ser utilizada para realizar uma transacção. Assim , se precisares de pagar algo e não tens um smartphone, podes imprimir uma Carteira de Papel e pagar com ela. Por exemplo, se tens que pagar uma factura de um restaurante que aceita FairCoins, deves colocar a quantidade exacta que vem na conta do teu jantar, por exemplo. O pagamento é efectuado da seguinte forma, é digitalizada a direcção pubica da tua Carteira e o codigo VR com a chave privada, e assim os teus FairCoins sao transferidos para a conta do restaurante. Por razões de segurança cada Carteira de Papel, só permite fazer um pagamento, caso precises de efectuar vários terás de gerar outra carteira de Papel.

7. FairCoop é convocada para os Prémios OuiShare 2015!!!

ouishareportadaO OuiShare Fest é o evento mais relevante de economia colaborativa na Europa. Cada ano, nomeia diferentes iniciativas que promovem a mudança social a nível global para apoiar o seu processo e desenvolvimento futuro.

Os Prémios OuiShare querem premiar aqueles projectos que estão contribuindo para a transição, a transformação e a mudança. Pretendem destacar a diversidade de projectos de economia colaborativa e mostrar o impacto que estão a gerar; desde resolver importantes questões sociais e ambientais, até romper como status quo de alguns sectores muito estabalecidos, ou redefinir de novo as cidades.
Este ano, dentro das 150 propostas que foram apresentadas, a FairCoop foi uma das selecionadas entre as nomeadas na categoria de “Finanças Colaborativas”. De 20 a 22 de Maio estaremos na OuiShare Fest de Paris para a apresentarmos!
A votação online foi aberta há alguns dias, podes fazer parte da decisão final dentro de um mês. Convidamos-te a ver as propostas e participar com o teu voto online: https://awards.ouishare.net/2015/vote/

This post is also available in: Inglês Espanhol Francês Catalão Alemão